CFO reconhece direitos dos Cirurgiões-Dentistas no uso de toxina botulínica

Finalmente a classe odontológica têm seu direito natural reconhecido pelo plenário do Conselho Federal de Odontologia (CFO): Estão liberados os usos da toxina botulínica e dos preenchedores faciais para fins terapêuticos funcionais, e também para fins estéticos.

A aplicação da toxina botulínica na Odontologia brasileira já existe desde 2000, quando a ANVISA liberou seu uso e comercialização no país. Sempre pareceu muito óbvio e natural que o dentista assumisse essa responsabilidade, visto que é o maior conhecedor da anatomia, tecidos moles e duros da face, da fisiologia facial e, ademais, o único profissional da saúde com autonomia para intervir nos dentes, estruturas fundamentais na harmonização facial.

Essa vitória deve ser amplamente divulgada e comemorada entre dentistas, pois vencemos preconceitos, lobbies e interesses contrários que poderiam não só limitar nossa atuação clínica, mas condenar milhares de pacientes a limitações de resultados, pela não utilização desses importantes recursos biológicos.

A regulamentação ainda abre caminho para uma corrente de pesquisas, publicações e estudos de caso que, em breve, ampliarão o uso e indicações desses biomateriais, assim como sinaliza para a indústria que investimentos na

Fonte: Odontobranding

É uma grande aliada para tratamentos de bruxismo e/ou apertamento dental e principalmente para pacientes com dor facial crônica e enxaqueca tensional. Quando aplicada, diminui consideravelmente a força das contrações musculares que contribuem para a dor facial, proporcionando grande alívio. Com isso a toxina botulínica pode ter um papel vital na eliminação ou redução da dor facial, enxaqueca tensional, do hábito de apertamento e/ou bruxismo, aumentando a longevidade dos dentes naturais, restaurações, coroas e próteses extensas. Para estes casos, a toxina botulínica não substitui o uso das placas oclusais, é uma coadjuvante do tratamento.

blog-02-02

A toxina botulínica é usada como terapia alternativa ou complementar nos tratamentos dos “sorrisos gengivais”, onde normalmente se tem a indicação da cirurgia de gengiva, ortodontia e cirurgia ortognática para resultados definitivos. Com o uso de poliamidas para preenchimento, que aumenta o volume dos lábios, e a aplicação da toxina botulínica, os músculos elevadores do lábio são enfraquecidos, impedindo de elevá-lo tão alto quanto antes. Com a mesma finalidade, ao diminuir a elevação do lábio superior, é possível esconder defeitos ósseos e gengivais, devolvendo a segurança e autoestima ao paciente.

Tais procedimentos devem ser feitos cuidadosamente, preservando as atividades normais como comer, sorrir, beijar e falar. Como qualquer tratamento, é necessário avaliar criteriosamente as alternativas e opções que melhor contemplem as necessidades de cada paciente.
Como a toxina botulínica é metabolizada, seu efeito dura de 3 a 6 meses, dependendo da cada paciente. As reaplicações tendem a ter seu efeito mais prolongado. Com isso, existe a necessidade de retratamento 2 a 3 vezes por ano.

Os efeitos iniciais da toxina botulínica aparecem em 48 horas e seu pico de ação, em 2 a 3 semanas. Já os preenchimentos dérmicos têm os resultados imediatos com duração de 1 a 2 anos.

Além das vantagens funcionais descritas acima, devemos ressaltar a contribuição para melhorar a qualidade de vida dos pacientes portadores dos quadros dolorosos tensionais crônicos, para diminuir os efeitos deletérios causados pelo apertamento e bruxismo, preservação das estruturas dentais e uma alternativa pouco invasiva para harmonização do sorriso.

 

AUTOR.

Dr. Carlos Loureiro Neto

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here