Ciclo da Vida Profissional do Dentista, você sabe em que degrau você está?

Todo profissional tem um ciclo de vida, em muitas áreas se começa como estagiário depois passa para trainee, analista, consultor, gerente, diretor e presidente. O dentista também tem seu próprio ciclo de vida profissional, que por sua vez é muito particular. Mesmo porque ele só pode trabalhar mesmo depois de formado, então nada de estágio remunerado até que se tenha o CRO.

Antigamente esta fase era mais tranquila, pois a grande maioria que fazia odontologia, tinha um poder aquisitivo que permitia sair da faculdade e abrir seu próprio consultório, as Fabricantes de Cadeiras Odontológicas faziam até excursões para turmas que estavam para se formar para conhecer as Fábricas, era um mimo só. Os tempos mudaram e agora já não funciona mais assim.

Se durante a faculdade perguntarmos aos estudantes o quanto eles acham que vão conseguir ganhar logo que começarem a trabalhar, quando falamos 10mil reais, levanta uma ou outra mão, quando na verdade a maioria queria levantar já, baixamos para 8 mil, começam levantar várias mãos, pois isto era o que acontecia antigamente.

Agora o ciclo é outro.  

O primeiro degrau é começar a trabalhar para clínicas populares, o que acho positivo, pois aí que o dentista começar a pegar jeito, ou na gíria do dentista, pegar mão, fazendo o atendimento de clínico geral, um atrás do outro, e pasmem, ganhando em sua grande maioria cerca de 30% sobre o trabalho efetuado. Além do momento da economia desfavorável, o fácil acesso a financiamentos para bancar a faculdade, e o fato do mercado brasileiro de dentistas ser maior no mundo, favorecem essa prática exploratória pois tem muita mão de obra disponível nos centros onde isso acontece.

Segundo degrau vem depois que o dentista pegou a famosa mão, aprendeu a trabalhar sozinho em um consultório, entendeu como funciona o fluxo do consultório, se ele se interessou um pouco mais pela gestão do consultório e acha que pode ganhar mais alugando uma sala ou dividindo espaço com outro colega, vai sentir aquela chama empreendedora acender e arriscar no consultório próprio. Arrisco dizer que mais de 80% dos dentistas param por aí.

No terceiro degrau vem o Dentista empreendedor de verdade. Ele montou o consultório dele, muitas vezes até quebrou e montou outro em outro lugar pois entendeu que ponto é importante para atrair pacientes, ou já conseguiu juntar um capital para poder investir em algo que ele viu lá atrás quando ele ganhava os 30% no primeiro degrau. Ele vai montar uma clínica com alguns consultórios dentro, onde os dentistas que estão começando ou se acomodaram e preferem trabalhar para os outros vão trabalhar para ele por percentual. Pensem que nem todo mundo quer ser empreendedor, ter que se preocupar com as finanças do consultório, despesas, ir atrás de arrumar uma coisa aqui e outra ali, não é para qualquer um. Este Dentista, na maioria das vezes deixa de atuar na cadeira odontológica e parte para se capacitar como empresário. Não é atoa que nas maiores franquias do Brasil, os proprietários de várias clínicas não são dentistas, e normalmente são as que mais dão resultados. Estes acabam possuindo mais de uma clínica.

No quarto degrau, estão os empresários da odontologia no Brasil, são aqueles que montaram suas clínicas conforme os passos anteriores, deram muito certo em algumas, outras nem tanto mas conseguiram criar uma rede de clínicas, alguns abriram franquias de suas marcas e não param de crescer, aproveitando que o Brasil é o país com mais dentistas no mundo e a população ainda é carente de tratamento odontológico, pois menos de 50% da população vai ao dentista durante o ano. Este número vem crescendo com os anos. Este que estão no quarto degrau são pontos fora da curva, trabalharam e se capacitaram muito para chegarem onde estão.

E Você? Em que degrau está? Vai ficar por aí?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here